PAISAGENS DO SERIDÓ

Sítios Arqueológicos do Seridó


Passarela do sítio Arqueológico Xique-Xique I
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio arqueológico Xique-Xique
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio arqueológico Xique-Xique
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio arqueológico Xique-Xique IV
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio Arqueológico Casa Santa
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio Arqueológico Furna do Cabloco
Carnaúba dos Dantas / RN



Sítio Arqueológico Serra dos Bassos
Santana do Matos / RN



Sítio arqueológico da Pedra Serrada
Jucurutu / RN



Sítio arqueológico da Gruta da Caridade
Caicó / RN


A região do Seridó faz parte da Bacia Hidrográfica Piranhas Açu e é constituída pelo Rio Seridó e seus afluentes principais, Carnaúba e Acauã. De formação pré-cambriana, seus dobramentos constituem o nível mais baixo do Planalto da Borborema, em sua parte potiguar, com altitudes máxima (804 metros sobre o nível do mar na Serra das Queimadas, município de Equador / RN).

A região do Seridó compreende municípios do Rio Grande do Norte e da Paraíba, constituindo uma área mais fértil e de maiores recursos hídricos em relação a outros pontos do Nordeste brasileiro. Atualmente, toda a sua extensão territorial sofre um gradativo processo de desertificação, acentuado pelo desmatamento intensivo da vegetação nativa.

Geologicamente, o Seridó pode ser considerado uma zona metalogenética rica em minerais, como a scheelita, berilo, colombita, tantalita, ouro, cobre ambrigonita e malacacheta (mica).

Os primeiros indícios de pesquisa arqueológica no município de Carnaúba dos Dantas remontam à década de 20 do século XX, quando o autodidata José de Azevêdo Dantas (1890-1929) fez incursões no território potiguar e paraibano, registrando os sítios arqueológicos rupestres aí presentes. Os seus estudos arqueológicos foram reunidos em um livro-manuscrito, com o título de Indícios de uma civilização antiquíssima , publicado em 1994 pelo Instituto Histórico e Geográfico Paraibano e Fundação Casa de José Américo, incentivados pela profª Gabriela Martin, coordenadora da Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco. O manuscrito original está guardado no Instituto Histórico Paraibano, tendo sido doado após a morte de José de Azevêdo Dantas pelo seu irmão mais velho, Mamede de Azevêdo Dantas.

Em suas incursões pelas serras e riachos do Seridó paraibano e potiguar, José de Azevêdo registrou mais de cinqüenta sítios arqueológicos, num período que vai de 1924 a 1927, aproximadamente; o recorte espacial de sua pesquisa se deu nos municípios de Carnaúba dos Dantas, Acari, Parelhas, Cruzeta, Jardim do Seridó, São Vicente e Santana do Matos (Rio Grande do Norte), Picuí, Pedra Lavrada, Nova Palmeira, Frei Martinho e Campina Grande (Paraíba). Junto às descrições sobre a localização geográfica do sítio, José de Azevêdo Dantas acrescentava a cópia das inscrições, feita a olho nu.

Nas décadas de 60 e 70, pesquisadores do Museu Câmara Cascudo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Serviço de Proteção ao Patrimônio Histórico Nacional registraram a presença de inscrições rupestres em Carnaúba dos Dantas, sobre as quais publicaram trabalhos (SOUZA e MEDEIROS, 1982).

Mas, é só no início dos anos 1980 que se inicia pesquisa arqueológica sistemática e interdisciplinar sobre os sítios arqueológicos do sertão do Seridó.

Hoje, já foram descobertos uma grande quantidade de sítios arqueológicos em toda região.

Pinturas rupestres - Região do Seridó

Foto: (1) DicaNordeste.com.br / (2)(3)(4)(5)(6)(7) A/D - Arquivo OpenBrasil.org / (8) Valdecy Alves
Paisagens do Seridó - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas

Castelo Di Bivar

Vaqueiros do sertão

Cachoeira da Vaca